quarta-feira, 22 de setembro de 2010

VERGONHA



Hoje acordei envergonhado com o Santos Futebol Clube. A causa todos sabem. Não é um problema que ocorre exclusivamente para os lados da Vila Belmiro, é doença comum a clubes e empresas pelo Brasil afora. Mas a maneira como aconteceu me atinge principalmente como pai. Eu, que vinha ensaiando levar meu filho de seis anos ao estádio para que assistisse pela primeira vez seu ídolo Neymar, pergunto: Com que cara eu digo para meu filho que aquele é um cara a ser idolatrado, como fez meu pai nos anos de 1960/70 sobre Pelé? Que relação de respeito meu filho terá com o mundo se a coisa mais inocente que é torcer por um clube vive arranhada em episódios de interesse, de mimos, de falta de respeito, de falta sequer de visão empresarial ou falta de caráter?
Eu digo não. Não levo Eduardo ao estádio por minha vontade. Não tenho vontade. Tenho vergonha!

3 comentários:

  1. Seri, Compartilho de sua dor nesse momento. Eu, que agora também sou pai, me vejo na mesma situação. Tenho uma tremenda vontade de levar em breve meu filho ao estádio para ver o meu Coringão jogar, mas esses constantes episódios nos desanimam e nos fazem refletir, pensar mil vezes antes de tomarmos tal atitude.
    Imagina meu filho vira para mim e faz uma ofensa? Como dizer que ele está errado se o meu ídolo faz o mesmo e nada acontece com ele?
    Um abraço.
    Alexandre Almeida

    ResponderExcluir
  2. Falou e disse, Seriguela... isso pode acontecer em todos os clubes grandes, mas realmente o jeito que é feito se torna nauseante.
    Cappelli

    ResponderExcluir